Bobeando


Faz realmente MUITO tempo que não posto no blog, esse com certeza foi meu recorde de hiato. É aquela velha história: fazer vídeos, mestrado, mulheres e vídeo-game… Não sobra tempo para o bom da vida, escrever nerdisses.

Pois bem, já há algum tempo eu estava pensando uma coisa muito séria.

A academia.

Não falo daquela que eu freqüento, cheia de livros empoeirados e professores barrigudos. A academia que eu queria falar tem coisas pesadas, máquinas que podem te matar, homens-coxinha, aquelas músicas estranhas e mulheres padrão photoshop.

E também não quero dizer que eu vou fazer academia, mais sim falar sobre ela.

Depois que minhas aulas de educação física no ensino médio deixaram de ser obrigatórias, decidi que a vida sedentária era a melhor escolha possível. E desde então cumpro esse sacrifício assiduamente.

Até que um dia, por influência de amigos e da namorada na época, acabei indo pra academia, malhar. Experimentar só por um dia, já que no fim das contas sou um cara de ideais.

Já de cara fiquei longe daqueles pesos complicados e me restringi a malhar as pernas, para diversão dos meus amigos-homem-coxinha.

“Frutinha”

Frutinha é o caralho, se um dia tretasse com alguém ou um ladrão quisesse me assaltar e tivesse que sair no braço com o cara provavelmente eu perderia minha inocência. Mas se eu tivesse pernas preparadas, correr me garantiria uma maior possibilidade de poder contar a história para meus netos.

E outra coisa, se vivêssemos num mundo pós-apocalíptico infestado por zumbis ou mesmo zergs, a lei da selva estaria do lado das pessoas que correm e não das que ficam.

Anúncios

Copa do mundo tem tanta coisa boa n’é?

Tem futebol, tem mulheres, tem a porra daquelas vuvuzelas, tem o bolão do C.A de comunicação…

E tem esse monte de gente diferente de todos os cantos do mundo reunidos em um só lugar!

Nome é uma coisa interessante, cada cultura cria uma fonética, uma maneira de escrever e de inventar nomes. Pensando nisso eu resolvi separar os nomes de alguns jogadores da copa baseado nos estereótipos que cada país tem, e acredito que o resultado tenha saido muito interessante!

Espero que gostem!

Francisco RODRIGUEZ MéxicoFrancisco RODRIGUEZ México

Rodolfo GAMARRA ParaguaiRodolfo GAMARRA Paraguai

Deco PortugalDeco Portugal

Amado GUEVARA HondurasAmado GUEVARA Honduras (cara de nordestino da porra)

Wayne ROONEY InglaterraWayne ROONEY Inglaterra

Federico MARCHETTI ItáliaFederico MARCHETTI Itália

Shunsuke NAKAMURA JapãoShunsuke NAKAMURA Japão

Jon Dahl TOMASSON DinamarcaJon Dahl TOMASSON Dinamarca

Radoslav ZABAVNIK EslováquiaRadoslav ZABAVNIK Eslováquia

Pedro EspanhaPedro Espanha

Michael BRADLEY EUAMichael BRADLEY EUA

Mathieu VALBUENA FrançaMathieu VALBUENA França

Georgios KARAGOUNIS Grécia

Georgios KARAGOUNIS Grécia

 Rafael VAN DER VAART HolandaRafael VAN DER VAART Holanda

Alexis SANCHEZ ChileAlexis SANCHEZ Chile

KIM Kyong Il Coréia do NorteKIM Kyong Il Coréia do Norte

Gilberto SILVA BrasilGilberto SILVA Brasil

Siphiwe TSHABALALA África do SulSiphiwe TSHABALALA África do Sul

Hans Joerg BUTT AlemanhaHans Joerg BUTT Alemanha

Rafik SAIFI ArgéliaRafik SAIFI Argélia

Carlos TEVEZ ArgentinaCarlos TEVEZ Argentina

Dizem que não vou mais às festas open bar.

E pior, dizem que estou reclamando do preço. Não é nada disso!

Tudo bem que quando entrei na universidade o ingresso das festas custava R$ 10,00 e hoje está chegando a R$ 25,00 (sem contar os lotes posteriores). Não sou bom de matemática, mas é um aumento de 250% em quatro anos. Segundo o INE, o preço da cerveja aumentou 13,3% de dezembro de 2008 até o primeiro semestre de 2010. Essa diferença orçamentária vai direto para o bolso dos nossos colegas acadêmicos promoters. Segundo boatos de amigos meus, uma festa de um dos cursos de engenharia chegou a ter 30mil reais de lucro.

E acho justo, é o preço do trabalho de se dedicar a promover uma festa. Já fica a propaganda de quem quer trancar o curso e fazer eventos. Quem está no mercado de bebidas comemora o aumento na venda de cerveja, que fez o Brasil superar a Alemanha no consumo dessa bebida.

A razão de eu não ir mais a festas open bar é bem mais simples:

Eu bebo de mais e perco o juízo.

Música da copa do Mundo e a Coca Cola.

Pois é… Páscoa, almoço com a família, meus tios jogando pontinho, os primos pequenos correndo pela casa e se machucando e as tias papeando. Nesse meio de confusão lá estava eu assistindo meu Kurintha de Kalunga enfrentando o Itu quando meu primo me chama pra ver um vídeo no youtube “muitooo loko”.

Era a música tema da copa do Mundo da África, ele queria me mostrar o show especificamente e como todas aquelas pessoas na platéia dançavam perfeitamente sincronizados “nossa cara, como todo mundo tá dançando igual assim, nossa! Parece até que combinaram”

O que me chamou atenção mesmo era a música e o tema bem “cocacolês”. Lembrei ( não por causa da coca mas dos temas de musica) da copa do mundo de 98, que quem tocava era o pessoal Chumbawamba (do I Get Knocked Down), adorava aquela música, na época eu tinha o jogo de futebol da copa pra pleidisteithio um.

Resolvi colocar as músicas temas das ultimas copas do mundo aqui. Espero que gostem!

Copa do Mundo de 98 –

Tubthumping (I Get Knocked Down) – Chumbawamba

Copa do Mundo de 2002

Copa do Mundo de 2006

Copa do Mundo de 2010

As de 02 e 06 são até bacanas mas não se comparam a de 98 😀

Espero que o Brasil faça uma música boa em 2012, mas (desculpem os que gostam) não coloquem só samba, please!

Estava eu feliz jogando guitar hero 5 com minha guitarrinha que tinha “acabado” de comprar lá no camelódromo. “Acabado” me refiro “5 dias atrás”, porque eu estava há dias mexendo os dedinhos pra chegar na tão esperada música: Sultans of Swing, do Dire Straits.

O coração até batia mais rápido, era agora, ERA AGORA! Tudo ou nada. Selecionei o guitarrista, calibrei a guitarra, coloquei na dificuldade “expert” e mandei play!

Play que nada, apareceu uma intrometida tela de advertência falando que o disco já passara dessa vida pra uma bem melhor.

E eu aqui desse lado da TV, como ficava?

Não ficava.

Reiniciei o vídeo-game, uma, duas vezes, na terceira ejetei o DVD pra ver a situação… Antes tivesse deixado dentro do leitor, havia um buraco de risco como se tivesse ocorrido uma guerra e usaram meu brinquedo pra cavar trincheira, maldito X Box!

Não vou ser tããão exagerado, aqui vai a foto do DVD riscado.

Como uma pessoa normal eu quebraria o DVD em dois e jogaria pela janela no matagal aqui na frente de casa… Mas não. Tive uma idéia melhor! Esquecida há tempos, ouvida n’uma proza com meu amigo @regisknetchel, a lenda contava a história de um cara que, abençado pelos deuses do Olimpo, havia restaurado um cd com pasta de dente. Eu pensei “vamos colocar essa história em ‘jogo’”

Peguei o restinho de pasta que eu tinha em casa (aproveitei pra escovar os dentes) e apliquei sobre o DVD TOTALMENTE DESTRUIDO.

Ele ficou mais ou menos assim.

Deixei secar por um tempo e mandei meu pano de secar louça nele, deixei secar mais um tempinho.

Assim que me pareceu seco o DVD, passei água e enxagüei com o mesmo pano.

No final do trabalho, o DVD parecia novo… mentira, continuava com a trincheira dos exércitos azuis prontos pra conquistar Vladvostock…

Não me abalei pelas aparências, liguei o vídeo-game, coloquei o cd e mandei play na minha guitarra.

Veja o resultado!

Aqui é onde o cd foi parar (olhando pelo lado bom, ele tava com um cherinho de hortelã)

Final das contas: Acabei ficando sem tocar o Dire Straits, perdi o resto da pasta de dente e meu pano de secar louça não serve mais pra secar louça.

O fim do post não é tão mal, já que não deixaria o usuário do blog na mão. Pra que esse post não termine com um “perdi 10 minutos da minha vida” aqui vai o vídeo com a letra de Sultan of Swings! Espero que gostem!

Esse post é dedicado à minha apresentação de monografia:

Através do desenvolvimento de novas tecnologia, especialmente na área de produção audiovisual (barateçaõ de equipamentos, interfaces intuitivas) novas maneiras de interligar espectador e sistemas vêm sendo configuradas. Para isso, sistemas hipermidiáticos trabalham com a interatividade.

Dentro das possibilidades da interação reativa, imaginou-se o vídeo interativo, onde o espectador torna-se espectador-usuário e pode escolher qual caminho da história seguir. Determinando como a história continua e como ela termina.

ETAPA I (definação do lugar em que o link deveria ser inserido)

Baseando no paradoxo ou Estrutura de Ação Dramática desenvolvida por Syd Field, a história constitui-se de três atos: ato de apresentação, confrontação e resolução.

Segundo Field, na passagem entre um ato e outro deve haver uma reviravolta dramática (ponto de virada), um momento crítico, que em inglês chama-se “plot point”. É nesse momento que o link entra. Assim, através da decisão do espectador, o vídeo toma um rumo ou outro,

Estrutura do Roteiro Cinematográfico Clássico Segundo Syd Field

Através do paradoxo de Field, é possível elaborar uma nova estrutura para a narrativa interativa, no gráfico abaixo, as vertentes da narrativa nascem a partir de pontos bem definidos e a história divide-se em várias vertentes, possibilitando muitos finais.


Estrutura do Roteiro Cinematográfico Interativo baseado na estrutura clássica de Syd Field

ETAPA II (Desenvolvendo as características do link)

Desenvolveu-se três tipos de link para o vídeo interativo. Nos dois primeiros vídeos (Diálogo e Ação VATS) a imagem pára e o espectador escolhe.

No terceiro (Ação RE4), se o espectador não escolher a tempo, o sistema segue por um caminho pré-estabelecido.

Modelo de Diálogo

Modelo de Ação VATS

Modelo de Ação RE4

Campus Party Brasil! ou Nerdstock se preferirem. Lugar onde não há preconceitos quanto aos nossos gostos. Lá, assim como eu, milhares de Geeks jogam computador, varam noites à fio para zerar Fallout 3 e assim como velhos confabulando sobre as façanhas de outrora, também contam nostalgicamente histórias de Mário, Prince e Link: heróis imortais.
Lá, onde um único dia irá durar 144 horas, eu vou.

Próxima Página »